Um dos presos envolvidos na morte do subtenente da Polícia Militar, Fabiano Fortuna, em tentativa de assalto ocorrida em setembro deste ano, no Shopping Paralela, em Salvador, já era procurado por roubo e tentativa de latrocínio, segundo informações da Polícia Civil. Ele e outro suspeito de envolvimento no caso foram apresentados à imprensa na tarde desta quarta-feira (29), na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Marcelo de Moura Fernandes, 34 anos, foi preso em 30 de outubro, no Vale dos Barris, e confessou participação na morte do policial. O outro suspeito preso, identificado como Eduardo Santos de Araújo, o Dudu, de 37 anos, foi preso no bairro do IAPI, no dia 23 de novembro. Segundo a Polícia Civil, ele estava a bordo do carro utilizado no assalto que terminou na morte do PM. No decorrer da abordagem, os policiais verificaram que a placa utilizada no carro não era compatível com o chassis, identificando que se tratava de um veículo roubado.

Ainda de acordo com a polícia, outros dois suspeitos, incluindo o que disparou o tiro que matou o policial, estão foragidos. Michel da Silva Nascimento, autor do disparo, e Luis Eduardo Santos Ribeiro, o “Chapão”, que conduzia o veículo utilizado na ação e anunciou o assalto, estão com as prisões preventivas decretadas pela Justiça. Depois da coletiva, Eduardo, mentor do assalto, e Marcelo, foram encaminhados ao sistema prisional.
Caso

O policial militar foi baleado durante uma tentativa de assalto, no estacionamento do Shopping Paralela, em Salvador, na tarde de 28 de setembro. Ele chegou a ser levado para o Hospital Roberto Santos, mas morreu por volta das 18h do mesmo dia. Ele tinha 40 anos e foi sepultado no Cemitério Bosque da Paz. Fortuna serviu à PM durante 19 anos.

PM foi morto a tiros em tentativa de assalto (Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo o delegado Odair Carneiro, da Força-Tarefa que investiga crimes contra policiais, Fabiano Fortuna havia sacado R$ 3,9 mil em uma agência bancária do bairro de Sussuarana, e se dirigiu ao Shopping Paralela para realizar pagamentos, quando foi seguido pelos assaltantes. No estacionamento do shopping, o policial foi abordado pelos criminosos e tentou correr, mas Michel percebeu que ele estava armado e disparou.