Edson Cândido Ribeiro, de 35 anos, suspeito de matar Jailma da Silva e Kauany Marques, em Glória do Goitá, na Zona da Mata de Pernambuco, foi preso nesta segunda-feira (7), após oito dias de buscas zona rural da cidade. A informação foi confirmada pelo coronel Paulo César Gonçalves, um dos responsáveis pela operação de busca.

O homem, depois de capturado, foi levado para a Delegacia de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Uma coletiva de imprensa foi marcada para a tarde, para detalhar a prisão.

Uma megaoperação foi montada com helicóptero, drones, carros e motocicletas para a captura de Edson. Mais cedo, o advogado de defesa dele, Rafael Torres, afirmou que o suspeito pretendia se entregar, mas temia pela própria integridade física.

Antes de ser preso, ele foi visto três vezes por equipes que realizavam buscas no helicóptero da Secretaria de Defesa Social (SDS), numa área de mata que fica entre três e cinco quilômetros distante da casa da mãe dele.

Segundo os policiais, Edson foi visto com um facão na mão, vestindo um calção listrado e sem camisa. Policiais de diversas unidades participaram da operação, que também utilizou um sensor de calor para detectar presença humana em meio à vegetação.

Jailma Muniz da Silva (à esquerda) e Kauany Mayara Marques da Silva (à direita) foram mortas em Glória do Goitá — Foto: Reprodução/WhatsApp

Edson era procurado desde o dia 31 de janeiro, quando houve o estupro e assassinato a facadas de Jailma, de 19 anos. Além da morte de Jailma, Edson é suspeito do homicídio de Kauany, 18, encontrada sem vida na terça (1º), em um bueiro da cidade.

Um mandado de prisão temporária foi expedido pela Comarca de Glória de Goitá, que também autorizou a divulgação oficial da imagem de Edson.

Os crimes provocaram uma comoção na cidade pacata, que fica a 50 quilômetros do Recife. A polícia também investiga se é Edson quem aparece em um vídeo de câmeras de segurança perseguindo uma mulher na madrugada do dia 31 de janeiro. A empregada doméstica Marinalva Santos conseguiu fugir e registrou queixa na delegacia.

No domingo, ocorreu a missa de 7º dia para homenagear Jailma, a primeira jovem morta. Na cerimônia, Kauany, a outra vítima, também foi lembrada.

Histórico

Edson Cândido Ribeiro, de 35 anos, já ficou preso por mais de 13 anos por causa de estupro e roubos cometidos em duas cidades da região. Na sexta (4), o Tribunal de Justiça (TJPE) detalhou os crimes praticados por ele.

O histórico de condenações do suspeito aponta que, em 15 de setembro de 2014, ele foi sentenciado pela Vara Única da Comarca de Pombos no processo por estupro e roubo.

Nesse caso, Edson pegou pena total de 13 anos e cinco meses de reclusão e 60 dias multa, para ser cumprido em regime inicial fechado.

Pelo estupro, ele pegou uma pena de nove anos de reclusão. Por causa do roubo, a penalidade chegou a quatro anos e cinco meses de reclusão e 60 dias de multa.

De acordo com o TJPE, ele não teve direito a recorrer em liberdade, porque já estava preso, cumprindo pena por outro processo.