Ex-funcionária da Vulcabras/Azaleia teria revelado que passava por problemas pessoais. Laudo do laboratório foi enviado para Salvador, que confirmará causa da morte.

O corpo da funcionária do supermercado Rondelli, Eliana Nolasco Barreto, 48 anos, foi liberado para os familiares na manhã deste domingo, dia 18 de fevereiro, após passar por exame de necropsia no Instituto Médico Legal (IML) de Itapetinga, no Sudoeste da Bahia. Na última quinta-feira, dia 15, ela foi socorrida e levada para o hospital Cristo Redentor pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) depois de tentar cometer suicídio, ingerindo supostamente um veneno para matar ratos, conhecido como “chumbinho”. Como não havia vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Eliana foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro Nova Itapetinga.

No dia seguinte, novamente, ela foi levada para o Hospital Cristo Redentor. O seu estado de saúde se agravou e, por volta das 15h30 desse sábado (17), a mulher não resistiu. Eliana deixou uma carta para a família, explicando porque cometeu suicídio. Ela passava por problemas pessoais.

Somente o resultado do laudo do laboratório central, em Salvador, irá apontar qual foi a substância exata usada para cometer o suicídio. O velório acontece no cerimonial da funerária Pax Perfeição, no Bairro Camacã, já o sepultamento será ás 17 horas, no cemitério Parque da Eternidade, bairro Nova Itapetinga. Itapetinga Repórter.