A crise do transporte público em Vitória da Conquista continua refletindo em um alto número de demissões. Além dos ex-funcionários da Viação Vitória que continuam desempregados desde a declaração de falência da empresa, em agosto de 2018, 280 funcionários da Viação Cidade Verde devem ser demitidos nos próximos 30 dias. Segundo informações, a empresa enviou os avisos prévios na noite desta quinta-feira(11).

Após a falência da Vitória, a Cidade Verde assumiu também o lote 1, sob a exigência que a prefeitura fiscalizasse o transporte clandestino realizado pelas vans, principal causa da queda de arrecadação de passagens. O acordo não foi cumprido e a empresa passou a sinalizar que também abandonaria o lote. Desde então, as demissões já passaram a ser uma grande preocupação entre os funcionários.

“A culpa é da prefeitura”: Funcionários da Cidade Verde temem demissões e atribuem problema à gestão municipal

Há cerca de um mês, a Prefeitura assumiu, após alugar os veículos da Viação Rosa, a operação de 5 linhas do lote 1. No próximo domingo(14), a gestão municipal deverá assumir mais 9. Logo, a demissão dos motorista e cobradores da Cidade Verde destes itinerários deverão ser concretizadas.

Além dos discussões em torno da legalidade ou não, da prefeitura, responsável pela gerência do sistema de transporte público, estar operando diretamente linhas de ônibus, há críticas devido ao número de desemprego que a crise vem gerando. Recentemente, o Blog do Sena entrevistou ex-funcionários da Viação Vitória que alegaram que não foram contratados pela Viação Rosa, como o prometido pela prefeitura. E agora, devido a proximidade de datas da demissão da Cidade Verde e início da operação das 9 linhas, mais 380 pessoas entraram para as fileiras de desempregados.