Com apenas 18 anos, a jovem conquistense Raissa Alves Ferreira, teve sua vida interrompida precocemente na noite do último sábado, 07, por volta das 23h, ao ser atropelada por Fernando Otávio Lemos Cardoso, que estava embriagado. O acidente ocorreu entre a Avenida Olivia Flores e a Rua Rio de Contas. A vítima, identificada como Raissa Alves Ferreira, atravessava a pista, com outras pessoas, ao saírem da mesma festa do atropelador, quando foi atingida pelo carro.

Familiares e amigos realizaram na manhã desta segunda-feira, 09, um protesto silencioso com cartazes cobrando que a justiça seja feita; que Fernando permaneça preso.

No Bairro Conveima, onde acontecia o velório, com cartazes, amigos e familiares fizeram um protesto silencioso cobrando que o condutor do veículo continue preso. Raíssa tinha acabado de passar no vestibular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) para o curso de pedagogia. O namorado de Raíssa, Emanoel, que estava com ela no momento do trágico atropelamento, falou sobre a perda. “Distanciei dez metros dela e aconteceu isso. Íamos pegar o ônibus. É difícil você olhar para os lados e não conseguir fazer nada. Inexplicável”.

O Colégio da Polícia Militar, onde a jovem estudou, lamentou a morte de Raissa. “É com extremo pesar que o Colégio da Polícia Militar de Vitória da Conquista, lamenta o falecimento da ex-aluna CPM Raissa Alves Ferreira, vítima de atropelamento automobilístico na Av.Olívia Flores, na noite deste sábado (07). Raissa estudou no CPM e foi integrante da Banda de Música durante o período de 2015 a 2018, quando concluiu o ensino médio. Muito querida por todos, destacamos sua dedicação e compromisso com o curso, além do sorriso sempre aberto que acolhia a todos.

O CPM, por meio de sua direção, professores, funcionários e comunidade escolar, lamenta intensamente esta fatalidade e neste momento de perda e dor transmite os sentimentos aos familiares, amigos e colegas”.

O velório está acontecendo na Rua 28, nº 36 – Bairro Conveima I. O enterro será no Cemitério do Kadija.

O juiz decidiu pela manutenção da prisão do condutor acusado de causar o atropelamento da jovem Raíssa Alves, de 18 anos. A audiência é um direito de presos que foram detidos em flagrante. Durante a audiência, o juiz avalia possíveis irregularidades na prisão, decidindo entre a manutenção da prisão ou pela soltura do acusado.

A audiência foi acompanhada por familiares e amigos de Raíssa e do condutor. Durante todo o tempo, o clima dentro do Fórum João Mangabeira, onde ocorreu a audiência, era tenso. A Polícia Militar esteve presente durante todo o tempo. fonte g1