Reprodução/Redes Sociais

O vereador da cidade de Filadélfia, interior da Bahia, Misael Alves dos Santos Silva (PDT), teve o veículo incendiado na garagem do seu imóvel. O fato aconteceu na madrugada do último sábado (5) e segundo o vereador, foi motivado por represália à denúncias que tem feito ao Ministério Público da Bahia.

“Tenho feito denúncias sobre improbidade administrativa, devido a pagamentos irregulares à senhora Maria Isabel, que é esposa do presidente da Câmara de Vereadores [Laílson Miranda Nascimento – DEM]. Desde que fiz as denúncias ele tem me feito ameaças, inclusive no plenário da Câmara”, disse o vereador à reportagem do BNews.

Segundo as denúncias realizadas pelo vereador, a esposa do presidente da Câmara ocupa cargos vinculados à prefeitura, sem que preste real serviço. O que pode caracterizar como “funcionária fantasma”.

O vereador informa ainda que no mesmo dia do que ele classifica como atentado, seu irmão foi abordado por alguns homens na principal praça da cidade e sofreu um espancamento. De acordo com Misael do Esporte, o irmão foi hospitalizado.

“Agora estou em Senhor do Bonfim na delegacia regional. Estou solicitando segurança a polícia e ao Ministério Público. Preciso de proteção não só para mim, mas também para toda minha família”, disse o vereador.

Um vídeo enviado ao BNews mostra o vereador afirmando em Plenário as acusações contra a esposa do presidente: “Eu como legítimo representante do povo, que foi eleito para defendera população de Filadélfia, fui eleito prometendo fiscalizar o executivo, fiscalizar o município com sinceridade e com honestidade […] E eu estou nessa casa aqui, diante dos vereadores para apresentar, uma denúncia que fiz ontem perante a promotora. Porque nessa casa mesmo, encontrei uma funcionária chamada Maria Izabel recebendo salário desta casa, mas essa mesma pessoa não exerce o seu trabalho aqui. Essa mesma pessoa, é esposa do nosso presidente da câmera…”, afirmou.

Em outro vídeo, é possível escutar o presidente da Câmara afirmando que o vereador o chamou no gabinete para fazer propostas “desonrosas”. “Quem me chamou no seu gabinete foi você pra fazer propostas desonrosas […] fala as coisas clara para o povo, não seja obscuro vereador.  Fale as coisas claras para o povo, ‘o vereador esteve no meu gabinete, fiz propostas desonrosas para ele, ele não aceitou'”.

Procurado pela reportagem, o presidente da Casa Legislativa afirmou que não tem relação com o atentado. O vereador acrescentou que solicitou a abertura de uma um investigação na delegacia de Filadélfia, em nome da Câmara, para apurar o atentado contra o parlamentar. Laílson alegou ainda ser vítima de perseguição política na cidade.

“É o presente para na qualidade de Presidente do Poder Legislativo, vereador, legítimo representante da sociedade filadelfense, e tendo em vista o fato ocorrido quando colocado fogo no veículo do vereador Misael Alves dos Santos Silva, solicitar de Vossa Senhoria um maior empenho quanto da realização das investigações para elucidação do referido fato”, diz um trecho do ofício enviado pela Câmara à delegada do município