Há mais de dois anos, a Uesb, por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Proex), integra o projeto multinstitucional e multisocial “Todas as Cores pelo Rio Catolé Grande”, criado pelo Ministério Público da Bahia (MPBA). Esse projeto, entre outras coisas, vem trabalhando para que as matas ciliares e as áreas de preservação permanentes do Rio, que foram degradadas, especialmente as nascentes, sejam restauradas.

Nesse sentido, desde o início do projeto, professores dos cursos de Engenharia Florestal e Agronomia da Universidade conduzem e colaboram com discussões técnicas que visam a conscientização do uso da água e do respeito com a vegetação. “A Uesb esteve presente em todos os momentos, opinando sempre tecnicamente sobre os conceitos de restauração florestal, estabelecendo critérios técnicos e deixando tanto os produtores rurais quanto outros atores sociais conscientes das ações que estavam sendo acordadas”, afirmou o professor Dalton Longue, que integra o projeto.

A mais recente ação foi assinatura do Termo Coletivo de Prestação de Serviços Ambientais, que visa promover a regularização ambiental de propriedades rurais locais localizadas às margens do Rio. O documento foi construído pelo MPBA, por meio das Promotorias de Justiça de Barra do Choça e de Justiça Regional Ambiental de Vitória da Conquista, e, contou com a participação da Uesb, do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e do Município de Barra do Choça. O documento foi assinado por 74 produtores de Barra do Choça, um dos sete municípios cortados pelo Rio Catolé Grande, em um encontro que aconteceu no Fórum da cidade na última semana. Leia na íntegra