Pelo menos 78 pessoas morreram em decorrência das fortes chuvas que atingiram a cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, na tarde de terça-feira (15). Segundo informou a Secretaria de Defesa Civil nesta quarta-feira (16), também foram contabilizados 269 deslizamentos e 325 ocorrências.

Quantidade mortos já supera os as vítimas das chuvas na BA, SP e MG

O município segue em estágio de crise e a prefeitura pede que população evite sair de casa. Durante a madrugada, agentes da Defesa Civil percorreram alguns pontos da cidade que foram afetados pelas fortes chuvas. Em seis horas choveu 260 milímetros. O acumulado foi maior do que todo o esperado para o mês de fevereiro.

Em coletiva de imprensa na tarde de hoje (16), o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), afirmou que 21 pessoas foram resgatadas com vida até o momento.

Com o acúmulo de lama e lixo arrastado pelas águas, vários pontos do Centro estão com vias obstruídas. A orientação é que pessoas de outras regiões evitem a cidade. As aulas na rede pública foram suspensas.

A Secretaria de Estado de Defesa Civil acredita que de 35 a 50 casas foram atingidas pelos deslizamentos.

Para atender as pessoas que vivem em áreas de risco e tiveram que deixar suas casas, foram abertos pontos de apoio. No momento, 372 pessoas estão desabrigadas ou desalojadas e mais de 180 moradores de área de risco estão sendo atendidos em escolas – a Defesa Civil informou, mais cedo, que 25 escolas estão funcionando como ponto de apoio.

Nesses locais, a população recebe o suporte de assistentes sociais, profissionais de saúde, educação, agentes comunitários, além da própria Defesa Civil.

Até o momento, na localidade conhecida como Morro da Oficina, no Alto da Serra, é estimado que 40 casas estejam soterradas. Os resgates estão concentrados na região. Também há registros de estragos em outras regiões como 24 de Maio, Caxambu, Sargento Boening, Moinho Preto, Vila Felipe, Vila Militar e as ruas Uruguai, Washington Luiz e Coronel Veiga.

Participam das operações no local 500 agentes dos bombeiros e militares, distribuídos em 44 pontos, 200 policiais civis e 210 policiais militares, além de 9 helicópteros e 190 veículos.

Para o socorro das vítimas, os bombeiros também abriram um hospital de campanha com dez leitos.

Previsão de mais chuva
Segundo previsão do Climatempo, chuvas fortes ainda devem atingir a Região Serrana nos próximos dias. A expectativa é de que chova com intensidade entre a metade da quinta-feira (17) e a tarde da sexta-feira (18). Os especialistas afirmam que o volume de chuvas deve ser menor do que o observado na terça-feira (15).