Fotos: Divulgação

Breno Cunha
[email protected]

O São João está chegando e muita gente procura sair da capital Salvador para passar no interior baiano. Os políticos, então, aproveitam a data para visitar as lideranças em cidades nas quais possuem apoios e outros procuram descansar.

Mas alguns políticos baianos e até empresários poderosos desta terra vão ter que passar o São João atrás das grades.

O primeiro caso é o de Geddel Vieira Lima. Preso em setembro do ano passado após o escândalo das malas de R$ 51 milhões, Geddel está na Penitenciária da Papuda desde então. O ex-ministro já acompanhou outras datas comemorativas na cadeia, como Réveillon, Carnaval e Páscoa.

Em fevereiro deste ano, o Ministério Público Federal pediu sete anos de prisão a Geddel por ter tentado impedir a celebração de um acordo de delação premiada do operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro.

Outro baiano que não dançará forró ao ar livre será o empresário Léo Pinheiro. Ex-todo poderoso da OAS, ele está preso em Curitiba desde setembro de 2016.

No último mês, ele finalmente teve seu acordo de delação premiada iniciado com a Lava Jato. Léo Pinheiro está fechando os últimos detalhes de sua proposta e deve entregar políticos do MDB, PSDB, PT, PP e DEM, além de pagamentos de propina em obras feitas pela empreiteira em 11 estados brasileiros.

Outro baiano preso neste São João é o ex-deputado Luiz Argôlo. Ele foi condenado a 12 anos e oito meses de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva na Operação Lava Jato e está preso em Salvador. O ex-parlamentar está detido há mais de três anos.