O Prefeito de Guajeru, Gilmar Rocha Cangussu, teve seus direitos políticos cassados por oito anos, após decisão do Juiz Eleitoral Antônio de Pádua de Alencar. A ação foi movida pela Coligação “Humildade E Confiança, Juntos Venceremos”, em novembro de 2016, contra o Prefeito Gil Rocha e o vice-prefeito Jilvan Teixeira Ribeiro, com diversas denúncias, entre elas, as de que o gestor, candidato à reeleição na época, utilizou, durante o período eleitoral, as máquinas do programa PAC 2 para fazer serviços particulares, perfuração de poços artesianos na semana da eleição e realização de cavalgada com distribuição de brindes e prêmios. “Isto posto, com base na fundamentação supra, julgo improcedente a representação manejada pela Coligação “Humildade e Confiança, Juntos Venceremos” contra Jilvan Teixeira Ribeiro e procedente em desfavor de Gilmar Rocha Cangussu, decretando a inelegibilidade deste pelo período de 08 (oito) anos, nos termos do artigo 22, inciso XIV, da Lei Complementar 64 de 1990”, diz a sentença. Ainda cabe recurso da decisão.

Em nota, o Prefeito Gil Rocha disse que muitas notícias falsas têm circulado nas redes sociais informando de que o mesmo teria perdido o mandato. “Ocorre que os adversários políticos estão mentindo em relação à suposta condenação do Prefeito Gil Rocha, vez que a mesma apenas está limitada à suspensão dos seus direitos políticos, sem nenhuma repercussão sobre seu mandato. Com certeza, ao final dos fatos a verdade vai prevalecer, e a decisão do Juiz de primeiro grau será cassada pela instância superior. A verdade é que o Juiz desta Zona Eleitoral aplicou sanção por causa da alegação dos adversários políticos, com base no depoimento da testemunha Márcio Ribeiro Macêdo, conhecido popularmente como Têco, que apostou contra Gil na campanha e perdeu um trator avaliado em R$ 25 mil reais. Obviamente qualquer afirmação desta testemunha perante a Justiça não tem validade, em função do seu interesse em prejudicar o prefeito e recuperar seu prejuízo”.

A nota informa ainda que Gil desde que tomou posse em 2013 iniciou a abertura de poços artesianos na Zona Rural para amenizar o sofrimento dos pequenos produtores, flagelados pela seca há muitos anos. “Portanto, essa ação de combate aos efeitos da seca sempre foi parte do programa de governo do prefeito Gil Rocha. Da mesma forma, a limpeza de aguadas com uso das máquinas do programa PAC 2 é parte das ações de governo. Frise-se que o uso dessas máquinas para a agricultura familiar é expressamente autorizado pelo Governo Federal. Assim, esse benefício para o pequeno produtor rural é, antes de tudo, um direito garantido”. Em relação à cavalgada, Gil Rocha disse que o evento ocorre todos os anos durante as comemorações do São Pedro, festa financiada com recursos do Governo do Estado, através da BAHIATURSA, e em 2016 estava na nona edição. “Não foi uma festa inventada para fins eleitorais e até hoje é realizada. O fato é que o grupo adversário fica incomodado com as realizações e o progresso trazido pela gestão atual. Por isso, em ato de desespero, lançam uma aventura judicial com base em depoimento falso, que será devidamente apurado posteriormente, pois mentir perante o Juiz é crime”.

[fonte: expressão]