O presidente do Consórcio Interfederativo de Saúde da Região de Vitória da Conquista e Itapetinga (Cisvita) José Henrique Tigre, o “Quinho”, prefeito de Belo Campo, anunciou a suspensão dos atendimentos aos moradores de Vitória da Conquista e Itapetinga a partit desta quarta-feira (02). O motivo seria a falta dos pagamentos por parte das referidas prefeituras.

O valor da dívida de Conquista referente a 02 meses seria de 200 mil reais, valor considerado irrisório na dimensão do orçamento municipal. Quinho disse que notificou a Prefeitura de Conquista por 02 vezes e não obteve nenhuma resposta.

A prefeitura de Vitória da Conquista continua afirmando que está em dia com os pagamentos e na semana passada, em nota ao Blog do Caique Santos, chegou a acusar a Policlínica de não cumprir com a cota de serviços e consultas pactuados.

Leia a nota emitida pela Secretaria de Comunicação da gestão Herzem Gusmão:

A Prefeitura de Vitória da Conquista, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informa que é de amplo conhecimento que as parcelas mensais são repassadas ao Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Vitória da Conquista e Itapetinga, mediante débito em conta, por meio de retenção do ICMS municipal na fonte.

Portanto, o pagamento referente à manutenção do Consórcio, bem como para manutenção da Policlínica, independe de trâmites financeiros por parte da Prefeitura Municipal, bastando, apenas, a assinatura de adesão ao Consórcio, a qual foi realizada no dia 17 de abril de 2019.

As demais tratativas burocráticas vêm sendo realizadas com total lisura e agilidade pelo equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde junto às diretorias Executiva e Financeira do Consórcio, que administra a Policlínica Regional de Saúde em parceria com o Governo do Estado.

POLICLÍNICA DESMENTE PREFEITURA

Por outro lado, o Consórcio Interfederativo de Saúde da Região de Vitória da Conquista e Itapetinga (Cisvita) divulgou uma extensa nota reafirmando que a Prefeitura de Vitória da Conquista está mesmo devendo e que a Smed não estava utilizando a totalidade da cota reservada aos pacientes conquistenses para consultas e exames.

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DA POLICLÍNICA:

O Consórcio Público de Saúde da Região de Vitória da Conquista e Itapetinga na pessoa do Seu Presidente Sr José Henrique Tigre vem a público esclarecer os fatos veiculados em Blogs da Região, como também a Nota expedida pela Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista:

Veiculou em blogs da cidade e região notícia dando conta da inadimplência da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista. Esclarecemos que em momento algum este Consórcio ou qualquer membro da sua Diretoria relatou a qualquer blog a situação de inadimplência do referido Município. A situação e tratativa sobre este assunto vinham sendo tratado de forma republicana entre a Diretoria do Consórcio e Membros da Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria de Finanças da Prefeitura.

Assim como as Prefeituras Municipais e Câmara de Vereadores, os Consórcios de Saúde também tem todas as suas contas disponibilizadas na Internet, cumprindo o quanto estabelece a Lei nº 133 de 27 de maio de 2009. (Conhecida como Lei da Transparência) cujo acesso está disponível a qualquer cidadão brasileiro.

A Prefeitura de Vitória da Conquista, por sua vez, através do seu Secretário de Saúde emitiu nota, também divulgada em blogs da região onde atesta que se trata apenas de atraso nos repasses por preservação aos preceitos legais e que esta informação fora usada de forma “POLITIQUEIRA”.

Posteriormente no Blog da Resenha Geral, reproduzidos por outros Blogs, noticia uma outra nota onde atesta que a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista não tem atraso com a Policlínica Regional como também que, a Policlínica não tem ofertado os serviços pactuados e as consultas, o que vem trazendo problemas para a população que não estão tendo acesso aos serviços pactuados.

Sobre estes assuntos temos a esclarecer o seguinte:

A Prefeitura Municipal de Vitória está sim em débito com o Consorcio de Saúde, contudo tal situação está sendo tratada de forma profissional e interna, sem qualquer tipo de exposição, pelo que se reitera que, eventuais publicidades sobre o fato, não são oficiais e nem partiram da administração do consórcio de saúde.

Quanto a suposta falta de atendimento, a Policlínica informa que tem prezado pela excelência no atendimento, todavia, recebeu reclamações de usuários, no sentido de dificuldades impostas na Secretaria de Saúde do Munícipio de Vitória da Conquista, para agendamento das consultas, ou seja, se há problemas na marcação de consultas, tal fato não é da responsabilidade da Policlínica e sim o ente consorciado.

Nos dois últimos meses o Município de Vitória da Conquista teria direito à 3.600 consultas e exames, contudo não atingiu através do agendamento da sua Secretaria sequer a 1.000 atendimentos, o que denota falta de interesse ou demanda do Município.

Sempre estivemos e continuamos a disposição da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista para as tratativas necessárias ao bom funcionamento da Policlínica e atendimento na sua pactuação total aos moradores do Município, que realmente necessitam de atendimento.