Alypio Noleto da Silva, de 24 anos foi preso nesta sexta, 23 de novembro, sob a suspeita de matar a idosa de 106 anos, Antônia Conceição da Silva. O caso, que abalou o Brasil pela violência a uma senhora centenária, chegou a um suspeito que acabou confessando o crime. Alypio é sobrinho-neto de Antônia e após um interrogatório que levou cerca de 10 horas, o homem assumiu que matou a parente.

O crime aconteceu no dia 17/11 e a senhora foi morta dentro da própria casa, na cidade de Feira Nova do Maranhão. O pequeno município fica a quase 800 quilômetros da capital do estado, São Luís. A Polícia se mobilizou para encontrar o assassino da senhora, já que o caso ficou conhecido em todo o Brasil.

Havia quatro suspeitos no rol da polícia e agora, Alypio acabou confessando.

O homem que foi preso sob a acusação de matar a idosa já tinha passagem pela polícia e inclusive, já havia sido indiciado e respondia na Justiça por outro crime bárbaro. Alypio é acusado de matar uma pessoa a golpes de machado no início de 2018. Entretanto, o juiz do caso autorizou que ele respondesse pelo crime em liberdade.

As investigações avançaram em direção ao homem, parente da vítima, pois segundo testemunhas, ele usava uma sandália compatível com as marcas deixadas na parede da casa de Antônia. Após seu testemunho, o motivo do crime também foi revelado. Ele entrou na casa da idosa para roubá-la, entretanto foi reconhecido pela vítima e acabou mantando-a para não ser denunciado.

Relembre o crime brutal

O crime que aconteceu há cerca de 10 dias, chocou o Brasil por conta da idade da vítima e a brutalidade que foi usada pelo assassino. O homem teria entrado por uma abertura na parte de cima da casa, descido pelas paredes (inclusive deixando marcas que foram importantes para o reconhecimento do assassino) e matou a senhora de 106 com pauladas e com marcas de estrangulamento.

A senhora teve traumatismo craniano e ainda foi arrastada por cômodos da casa. A senhora estava sozinha, mas morava com um neto que contou que fora levado da casa a importância de R$ 30, sendo este o motivo que se revelou depois para a entrada do meliante na casa de Antônia.

Na época, a polícia também apreendeu na casa um bastão de madeira que teria sido usado no crime contra a idosa. A arma estava com marcas de sangue.