Na manhã desta quarta-feira, 27, aconteceu do Disep (Distrito Integrado de Segurança Pública), em Vitória da Conquista, uma coletiva de imprensa, uma parceria da Secretária da Fazenda, Polícia Técnica e Polícia Civil, para esclarecimentos a cerca da operação feita no início dessa semana no Auto Posto Tangará, localizado às margens da BR 116, na altura do km 827 onde foi constatado diversas fraudes, de acordo com a Polícia Civil, como adulteração do combustível, das bombas do posto.

Ricardo Tubone, Sefaz; Silvia Schetinni, Polícia Técnica e os delegados Leonardo Rabelo e Fabiano Aurich.

 

De acordo com Ricardo Tubone, coordenador da Secretaria da Fazenda, o trabalho realizado nesta semana faz parte da Operação chamada “Posto Legal”, que está sendo desenvolvida juntamente com o Polícia Civil, a Polícia Técnica, o Ibametro, a ANP, e a Polícia Militar em todo estado da Bahia, já tendo realizada em Feira de Santana, Salvador, Porto Seguro, Eunápolis, Teixeira de Freitas, Vitória da Conquista e Barreiras, sendo uma operação que ainda está em andamento.

Aqui em Vitória da Conquista, o que motivou primeiramente a visita a esse posto de combustível foi uma denúncia, que levou a Sefaz, e as Polícias Técnica e Civil e o Ibametro ao local para apurar a denúncia.  Foi feito uma primeira visita ao posto na segunda-feira, onde feito todo o levantamento do local, onde cada órgão atou na sua área para um maior êxito da operação. Na Secretaria da Fazenda foi feita a contagem do estoque do álcool, da gasolina, do diesel, verificação da emissão de notas fiscais, entre outras. Já o Ibametro verificou a quantidade e a adulteração do combustível, junto com a Polícia Técnica, onde ficou constatado os indícios de fraude no posto em questão. Nesta primeira visita o gerente do Posto foi ouvido.

Já Silvia Schettini, coordenadora regional da Polícia Técnica, explicou que a participação da Polícia Técnica nessa investigação foi inicialmente para fazer coleta de combustível nas bombas do posto, o que foi feito pela equipe e o material foi encaminhado para o laboratório Central de Polícia Técnica que fica em Salvador, para análise. O Ibametro também fez essa mesma coleta, e posteriormente os resultados das análises dos dois órgãos serão comparados para que possa ser feita a emissão do laudo da composição do combustível. Só a partir da emissão desse laudo que será possível avaliar realmente a qualidade e a quantidade desse combustível.

Na terça de manhã as equipes voltaram ao posto, e não conseguiram mais contato com o gerente do posto, tendo ficado confirmado que ele fugiu, e foi encontrado pela Polícia Rodoviária Estadual, na cidade de Caetité, e ficou constatado, de acordo, com a Polícia Civil, que houve uma adulteração da entrada da bomba, que estava com cimento fresco. Leonardo Rabelo, delegado da Polícia Civil afirmou “eu não tenho dúvidas nenhuma de que o posto fazia fraudes. A fraude na quantidade é fácil de perceber, porque foi feita lá a medição física, no galão, e no galão de 20l a tolerância é que se passe até 60mm, e a gente teve uma variação de 1200mm a 1600mm, uma variação grande. ”, explicou. A partir de agora o inquérito será instaurado, e as investigações seguiram em todos os órgãos envolvidos.

Há indícios também de sonegação fiscal, a Sefaz irá fazer uma auditoria completa, e só após esse resultado poderá ser confirmado ou não a sonegação fiscal desse posto de gasolina. De acordo, com os entrevistados esses são os primeiros passos da investigação que pretende ainda investigar outros postos de combustíveis a partir de agora. Os donos desse posto de gasolina não foram encontrados ainda, mas sabe-se que é um posto com diversos sócios, que também são donos de outros postos de gasolina na cidade e na região.

A Polícia pede também, que consumidores que se sentiram prejudicadas no abastecimento neste posto em questão procurem a Polícia para prestar depoimento e serem testemunhas nesse caso.