O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), chamou o presidente Jair Bolsonaro de “covarde”, ao compartilhar uma matéria da Veja que diz que ele culpa o ministro da Saúde Eduardo Pazuello pela perda de popularidade do seu governo e demora no início da vacinação.

De acordo com a matéria, Bolsonaro teria dito em reunião ministerial que aconteceu na sexta-feira (8) que a Covid-19 “baqueou Pazuello e que ele não dá mais conta de nada”.

No mesmo dia, Bolsonaro criticou Rodrigo Maia (DEM) pelo apoio do PT à candidatura de Baleia Rossi à presidência da Câmara, dizendo que o democrata já atribuiu ao partido o título de “maior desgraça do mundo”. Segundo o presidente da República, há mais semelhanças do que diferenças entre Maia e o PT.

“O Rodrigo Maia, quando votou pela cassação da Dilma, deu um voto criticando o PT, (dizendo) que perseguiu o pai dele quando era prefeito no Rio. Deu um voto firme, objetivo, apontando que o PT era a maior desgraça do mundo. Hoje, está junto com o PT nas eleições da presidência da Câmara. Pelo poder, água e óleo se misturam. Se bem que ali acho que não é água e óleo, não, são duas coisas muito parecidas — disse Bolsonaro em conversa com apoiadores às portas do Palácio do Planalto.

Maia retrucou e disse que o bloco que reúne partidos de diferentes espectros está unido para combater o autoritarismo, o fascismo e a incompetência” e que “são muito naturais as críticas e o incômodo de Bolsonaro à nossa união”.