Joaniz Almeida, de 32 anos, foi morto em Belo Horizonte
 

Um jovem de 18 anos foi preso em flagrante nesta terça-feira por matar o marido da sua amante na residência do casal em Belo Horizonte. Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, Samuel Felipe da Paixão teria recebido um aparelho celular e o valor de R$ 50 para efetuar o crime. A mulher da vítima foi apontada como a mandante. Identificada como Luciane Araújo Silva, de 37 anos, ela também foi presa pelo homicídio.

O corpo de Joaniz Divino de Almeida, de 32 anos, foi encontrado por volta das 16h na casa onde ele vivia com a mulher na Rua Professor João Moreira, no bairro Mineirão. O SAMU chegou a ser acionado, mas o homem já estava morto. Joaniz estava amordaçado, com mãos e pés amarrados. A perícia informou que a vítima ficou com duas perfurações no lado direito do abdômen.

Policiais da Delegacia de Homicídios encontrou Samuel num abrigo de apoio a pessoas em situação de rua em outro bairro. O autor informou aos agentes que conheceu Luciane há cerca de três dias.

Segundo ele, Luciane alegou que “apanhava constantemente do marido” e que “queria se livrar dele”. Ela ainda o teria questionado se teria coragem de matar Joariz. A Polícia Civil informou, contudo, que não tinham sido registrados boletins de ocorrência de violência doméstica contra Joaniz.

Consta no boletim de ocorrência que Samuel “se prontificou a executar o serviço com mais três comparsas”. O preso não informou, porém, os nomes deles nem endereços. Não foram mencionados também detalhes sobre o que ocorreu no momento do crime.

Segundo testemunhas, Luciane foi buscar Samuel na casa dele por volta das 6h desta terça-feira. Por volta das 11h, ele voltou vestindo uma blusa de frio, sujo de sangue, com hematomas nas costas e braços. De acordo com a PM, Samuel já estava nesse momento com o dinheiro e o celular, conforme teria sido combinado.

Testemunhas disseram ainda que viram Luciane e comprando, ainda no período da manhã, duas latas de cerveja e, por volta das 14h30, um armário, que foi entregue pouco depois da morte de Joaniz. A ocorrência foi encerrada na Central de Flagrantes III da capital mineira. Dois celulares foram apreendidos. Conforme posts no perfil da vítima em redes sociais, o casal estava junto desde 2013.