O presidiário morto foi identificado como Aristeu Ribeiro Filho

Um detento da Unidade Prisional Barra da Grota, em Araguaína, foi brutalmente assassinado com requintes de crueldade na noite desta segunda-feira (5).

O Instituto Médico Legal, foi acionado por volta das 20 horas para recolher o corpo. O detento foi decapitado, teve as pernas cortadas e o coração arrancado.

As partes do corpo estavam dentro de uma caixa usada para colocar marmitex. Os agentes só perceberam o crime quando foram pegar a caixa para lavar e notaram algo estranho.

O presidiário morto foi identificado como Aristeu Ribeiro Filho. Ele estava em uma das celas do pavilhão B e cumpria pena por assalto.

Segundo apurado pela reportagem, a morte cruel do detento é um protesto contra o body scan, equipamento que impede a entrada de drogas, armas e celulares, além de bloqueadores de celulares que foram implantadas na última quinta-feira (1º de agosto) no presídio.

Três presidiários foram levados para a Delegacia de Plantão. Um deles é suspeito de ser o autor do homicídio e os outros dois tentaram alterar a cena do crime.

Os suspeitos ainda usaram um rodo para lavar o local do crime e deixaram um bilhete em cima do corpo reivindicando a retirada dos equipamentos, além de outros benefícios.

A arma do crime ainda não foi encontrada e o presídio deve passar por uma revista geral nesta terça-feira (8).