Primeiras doses da vacina de Oxford chega à Bahia — Foto: Lisboa Júnior / TV Bahia

Primeiras doses da vacina de Oxford chega à Bahia — Foto: Lisboa Júnior / TV Bahia

O avião com nova remessa de vacinas contra o novo coronavírus chegou à Bahia por volta das 10h35 deste domingo (24). Desta vez, chegaram cerca de 119.500 doses do imunizante desenvolvido pela universidade de Oxford, em parceria com a biofarmacêutica AstraZeneca.

A carga saiu do Rio de Janeiro com destino ao Aeroporto Internacional de Salvador e chegou cerca de 10 minutos mais cedo que o previsto. Segundo o Ministério da Saúde, as vacinas chegariam por volta das 10h45.

De acordo com a programação do Ministério da Saúde, a Bahia vai receber cerca de 119 mil doses das vacinas enviadas aos estados.

Avião com primeiras doses da vacina de Oxford chega na Bahia — Foto: Lisboa Júnior / TV Bahia

Avião com primeiras doses da vacina de Oxford chega na Bahia — Foto: Lisboa Júnior / TV Bahia

Após desembarcarem no Aeroporto Internacional de Salvador, as vacinas foram encaminhadas para a sede do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer). Chegando lá, foram colocadas em uma sala com refrigeração especial.

No Graer, o imunizante será será catalogado, fracionado e depois distribuído para os municípios. Para isso, uma estrutura para recebimento e armazenamento temporário de vacinas foi montada no local.

Vacina de Oxford chega na Bahia — Foto: Alberto Maraux

Vacina de Oxford chega na Bahia — Foto: Alberto Maraux

A distribuição para as cidades do interior terá início a partir das 14h deste domingo, segundo informações da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Segundo a SSP-BA, a distribuição acontecerá através de veículos quatro rodas, helicópteros e aviões.

Já em relação à quantidade de doses, a Sesab afirmou que será proporcional ao número de pessoas do grupo prioritário estipulado pelo Ministério da Saúde.

Vacinas de Oxford chegam na Bahia — Foto: Alberto Maraux

Vacinas de Oxford chegam na Bahia — Foto: Alberto Maraux

A estratégia usada para essa nova remessa será de usar todas as vacinas recebidas neste domingo, pois ela tem uma resposta imunológica precoce ampla, sendo possível esticar o prazo de aplicação da segunda dose para 90 a 120 dias à frente.

Dessa forma, todas as doses poderão ser aplicadas, diferente da CoronaVac, onde foi necessário guardar cerca de 50% das doses recebidas pelo estado.

Vacinação em Salvador

A vacinação contra o novo coronavírus começou na última terça-feira (19) em Salvador, após a chegada da 1ª remessa de vacinas da Coronavac.

A enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinho, de 53 anos, foi a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 em solo baiano. Ela trabalha no Hospital Couto Maia, na linha de frente no combate à pandemia. Além da enfermeira, foram imunizados uma idosa de 83 anos, uma indígena e um médico do Samu.

Enfermeira foi a primeira pessoa vacinada na Bahia — Foto: Itana Alencar/G1 Bahia

Enfermeira foi a primeira pessoa vacinada na Bahia — Foto: Itana Alencar/G1 Bahia

A cerimônia simbólica que marcou o início da vacinação contra o coronavírus aconteceu no santuário das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), em Salvador. O ato foi acompanhado pelo governador Rui Costa, pelo prefeito da capital, Bruno Reis, e pelos secretários de Saúde do município e do estado.

Após a cerimônia, outros 46 idosos do abrigo mantido pela Osid foram imunizados.

Doses da CoronaVac — Foto: Caroline Giantomaso/ G1

Doses da CoronaVac — Foto: Caroline Giantomaso/ G1

O público-alvo do primeiro lote de vacinas na Bahia é composto por 180 mil pessoas (considerando as duas doses para completar o esquema vacinal e o percentual de perda operacional é de 5%):

  • 35% dos Trabalhadores de saúde, com foco nos profissionais que estão na linha de frente da Covid-19, a exemplo de hospitais, Pronto-Atendimentos Covid-19 e SAMU.
  • Vacinadores
  • 27 mil Indígenas aldeados, ou seja, vivendo em terras indígenas (importante falar que é acima de 18 anos)
  • Pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência/asilos (institucionalizadas); Qualquer idoso acima de 60 anos
  • Pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência, residentes em Residências Inclusivas (institucionalizadas)

Campanha nacional

O início da campanha estava previsto para acontecer simultaneamente em todo o Brasil na última quarta-feira (20), mas o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, autorizou que os estados adiantassem a imunização para a segunda-feira (18).

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou no último domingo (17), por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19. Momentos depois, o governo de São Paulo aplicou a primeira vacina da Coronavac.

Ao todo, quase 6 milhões de doses da Coronavac foram enviados para todo o país. 4,6 milhões serão enviadas pelo governo federal aos estados brasileiros, e outras 1.357.640 serão distribuídas pelo estado de São Paulo.

Na primeira fase da vacinação, o Ministério da Saúde prevê que sejam vacinadas no Paraná:

  • 102.959 trabalhadores de saúde,
  • 12.224 pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência,
  • 10.816 indígenas,
  • 482 pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência.

Plano de vacinação

O governo informou que os seguintes grupos serão vacinados até o fim do 1º semestre de 2021:

Primeira fase

  • Trabalhadores da saúde;
  • Idosos a partir dos 75 anos de idade;
  • Pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, como asilos e instituições psiquiátricas;
  • População indígena.

Segunda fase

  • Pessoas de 60 a 74 anos.

Terceira fase

  • Pessoas com comorbidades, que possuem doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras.

Os insumos para a vacinação no estado começaram a ser distribuídos aos municípios do Paraná no dia 16 de janeiro, segundo a Secretaria Estadual da Saúde (Sesab).