A distribuição de cocaína adulterada na região metropolitana de Buenos Aires provocou a morte de pelo menos 23 pessoas e 84 tiveram que ser hospitalizadas na quarta-feira (02) e nesta quinta-feira (03) devido ao uso de drogas que foram processadas com uma substância “com alto nível de toxicidade” ainda a ser identificada.As autoridades de saúde da província de Buenos Aires lançaram um alerta epidemiológico, enquanto a polícia rastreia a origem da droga envenenada. Até agora dez pessoas foram presas.

Segundo o jornal o Globo, as prisões ocorreram em um bunker no assentamento conhecido como Puerta 8, nos arredores de Buenos Aires. Foi o local indicado como ponto de venda da cocaína envenenada pelas famílias das vítimas, de acordo com o ministro da Segurança da província de Buenos Aires, Sergio Berni.

“Encontramos a mesma embalagem que os parentes das vítimas nos deram para investigar”, disse Berni ao canal de notícias TN. “É muito importante mostrar a embalagem. É de náilon e cor de rosa. Parece que estavam fechadas a termofusão”, acrescentou.

Na madrugada desta quinta, mais 15 mil doses com características similares foram apreendidas. Dez pessoas foram presas, incluindo o que seria o dono do lote adulterado, um traficante paraguaio Joaquín Aquino, conhecido como El Paisa, de 33 anos.

Conforme a BBC, a mãe de uma das vítimas, identificada como Beatriz, disse a jornalistas que o filho de 41 anos passou mal quando estava na cozinha da casa onde moram.

“Meu filho teve uma parada cardíaca e mal conseguia respirar. A ambulância demorou meia hora. Mas eu entendo que é porque foram muitas ligações para o mesmo problema, ao mesmo tempo. Meu filho é usuário de drogas desde os 14 anos, agora está entubado, mas tenho esperança” declara.