O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h deste domingo (3).

O país registrou 287 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 196.029 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 698. A variação foi de -9% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de estabilidade nos óbitos pela doença.

Os números destes sábado e domingo, ainda mais baixos do que os dos últimos finais de semana, podem ser reflexo de esquemas de plantão de Ano Novo adotados localmente nos órgão responsáveis pelos registros.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 7.732.071 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 17.252 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 35.810 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de -25% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de queda nos diagnósticos.

Oito estados apresentaram alta na média móvel de mortes: AC, TO, SE, RR, AL, RO, PA, AM.

Brasil, 3 de janeiro

 

  • Total de mortes: 196.029
  • Registro de mortes em 24 horas: 287
  • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 698 (variação em 14 dias: -9%)
  • Total de casos confirmados: 7.732.071
  • Registro de casos confirmados em 24 horas: 17.252
  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 35.810 por dia (variação em 14 dias: -25%)

 

(Antes do balanço das 20h, o consórcio divulgou um boletim parcial às 13h, com 195.805 mortes e 7.719.314 casos confirmados.)

Estados

 

  • Subindo (8 estados): AC, TO, SE, RR, AL, RO, PA e AM
  • Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente (12 estados e o DF): MG, PB, SP, PI, RJ, MA, RS, ES, AP, BA, RN, MS e DF
  • Em queda (6 estados): GO, CE, PR, PE, MT e SC

 

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.