Foto: Reprodução/Internet
Foto: Reprodução/Internet
Equipes do Corpo de Bombeiros estão mobilizadas para atender a ocorrência do rompimento da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A informação foi divulgada no início da tarde desta sexta-feira (25). Segundo informações do Corpo de Bombeiros de Contagem, que atende o município, há vítimas e cerca de 200 pessoas desaparecidas. Várias viaturas estão no local, além de cinco helicópteros. A Defesa Civil confirmou que há pessoas isoladas. Por volta das 14h, duas mulheres foram levados por um helicóptero ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII – elas estão consciente e estáveis. O centro médico informou que acionou o plano de catástrofe, e fará, desta forma, atendimento exclusivo às vítimas do rompimento na área de emergência.
O rompimento da Mina Córrego do Feijão, que pertence à Vale, provocou mais um acidente da mineradora em Minas Gerais em menos de três anos. A barragem faz parte do Complexo de Paraopeba, que possui 13 estruturas utilizadas para disposição de rejeitos, retenção de sedimentos, regulação de vazão e captação de água.

Ao todo, o Complexo de Paraopeba produziu 26,3 milhões de toneladas de minério de ferro em 2017, cerca de 7% da produção da Vale, que no mesmo ano produziu 366,5 milhões de toneladas de minério de ferro, segundo a assessoria da empresa.

A mineradora informou que acionou o Corpo de Bombeiros e ativou o seu Plano de Atendimento a Emergências para Barragens. “A prioridade total da Vale, neste momento, é preservar e proteger a vida de empregados e de integrantes da comunidade”, disse em nota. A Vale se comprometeu ainda a continuar fornecendo informações assim que forem confirmadas.

O presidente Jair Bolsonaro lamentou o rompimento e anunciou o envio de uma equipe de secretários e ministros para Brumadinho. O Planalto montou um gabinete de crise para acompanhar os desdobramentos.

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) enviou na tarde desta sexta-feira a Brumadinho uma equipe com quatro pessoas, que vão fazer levantamento sobre o licenciamento ambiental e tomar outras providências após o rompimento da Barragem Córrego dos Feijões, da mineradora Vale. A equipe inclui dos técnicos do Núcleo de Emergências Ambientais e mais duas da Fundação Estação do Meio Ambiente.

governo de Minas Gerais divulgou nota nesta sexta-feira informando que está sendo montada uma “força-tarefa” no local: uma equipe da Defesa Civil e do Batalhão de Emergências Ambientais estão com dois helicópteros trabalhando no atendimento das vítimas. Um gabinete estratégico de crise foi formado para acompanhar as ações. O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, colocou também toda a equipe da Defesa Civil da capital à total disposição – cerca de 70 agentes.

O secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, o coronel Alexandre Lucas, que já coordenou o órgão em BH, também está se deslocando de Maceió (AL) para Brumadinho.

O ministro de Meio Ambiente, Ricardo Salles disse que uma equipe de emergência do Ibama já foi deslocada para a região. O ministro também