Quatro pessoas morreram em acidentes nas rodovias que cortam a Bahia entre 22 a 25 de dezembro, de acordo com o balanço da Operação Natal divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) ontem (26). Em 2021, foram sete vítimas fatais, uma redução de 43% na comparação entre os períodos. Ainda que a quantidade total de acidentes tenha sido praticamente igual do ano passado para cá (foram 35 e 36, respectivamente), houve melhora na gravidade: de 13 acidentes graves registrados na época, o índice caiu para sete em 2022. Durante as ações de fiscalização que visaram aumentar a segurança viária, houve ainda doze feridos, contra 58 nas festividades do período anterior. O efetivo da PRF foi reforçado para realizar as incursões ao longo dos oito mil quilômetros de estradas, com atenção especial aos trechos considerados mais propícios a acidentes. Entre essas estradas, estão a parte sul da BR-101 (como a ligação Teixeira de Freitas-Porto Seguro), considerada a mais perigosa da malha baiana, a BR-116 (principalmente no trecho Canudos-Jequié, onde se deve evitar ultrapassagens), e a BR-324, que liga Salvador a Feira de Santana (o condutor deve estar atento aos aclives e declives, assim como as rotatórias). Foram fiscalizados 3.506 veículos e 6.324 pessoas nos dias de operação, e emitidas 1.905 notificações relativas a infrações de trânsito. Mais uma vez, a pressa foi inimiga da segurança dos condutores: as ultrapassagens indevidas representaram 26,9% do total de registros, com 513 autos de infração; vale lembrar que esta é uma das principais causas de acidentes nas estradas. Outras irregularidades presenciadas pelo efetivo da PRF foram a falta de uso do cinto de segurança (117 infrações), ausência de capacete para ciclistas e motociclistas (35 notificações) e não uso da cadeirinha para crianças (34 autos). Ainda na Operação Natal, 141 veículos foram apreendidos por apresentarem problemas em equipamentos de uso obrigatório, falta de documentação ou mau estado de conservação, e 17 pessoas foram detidas.

Compartilhe: