O Delegado Waldir, líder do PSL na Câmara dos Deputados, renunciou ao cargo ontem pela manhã. Era, de acordo com o grupo de Luciano Bivar, presidente do partido, fruto de um acordo feito com o governo pelo qual tanto ele quanto Eduardo Bolsonaro abririam mão da disputa em nome de um terceiro escolhido de comum acordo. O objetivo era pacificar a legenda. De presto, porém, os governistas protocolaram uma lista com a assinatura de parlamentares da bancada indicando o filho presidencial Zero Três para o posto. Eduardo então destituiu todos os doze vice-líderes do PSL na Câmara. Os bivaristas acusam o Planalto de traição. (Folha)
O presidente Jair Bolsonaro, que está em Tóquio, afirmou que considera mais estratégico para seu filho político caçula que abandone a ideia da embaixada em Washington para se dedicar à liderança na Câmara. (Estadão)
Segundo Guilherme Amado, os EUA já consideram que ele não será embaixador. (Época)
Pois é… Deve ser mesmo o embaixador de carreira Nestor Foster o próximo a comandar a diplomacia brasileira no país. (Globo)
Enquanto isso… Bivar pode suspender, hoje, as atividades partidárias de talvez até 19 deputados do lado bolsonarista. É a forma de neutralizar seu ataque à liderança, informa o Painel. (Folha)
E a briga fratricida segue deixando rastros. Ontem, antes do Roda Viva, a deputada Joice Hasselman afirmou que os filhos do presidente coordenam uma rede de pelo menos 1.500 perfis falsos no Twitter para propulsão de notícias falsas. Joice está sob ataque cerrado, nas redes, desde a semana passada. (UOL)
Então… Ontem, o filho Zero Dois rebateu no Twitter uma acusação do ex-ministro general Santos Cruz de que o Planalto tem sob seu controle uma milícia digital. Mas Carlos Bolsonaro rebateu usando a conta do pai, Jair. O comentário ironizava o general de reserva — “Mais um(x) revoltad(x).” Logo apagou, e republicou a resposta, usando agora a sua. (Crusoé)
Renato Terra, humorista: ‘Os Filhos justificam os meios’, Jair Bolsonaro. (Twitter)
Fonte: Meio