A situação da deputada Flordelis (PSD-RJ) ficou mais complicada no Conselho de Ética nessa quinta-feira (15). A deputada foi acusada frontalmente pelo delegado Allan Duarte Lacerda de mantar matar o marido, o pastor Anderson do Carmo, em 2019. O delegado disse aos deputados que Flordelis representa um risco para a sociedade e só não está presa devido à imunidade parlamentar. Ela usa tornozeleira eletrônica.

Allan Lacerda disse  que, com base no conjunto de diligências, provas técnicas, dados de celulares e depoimentos de testemunhas, não restaram dúvidas de que a deputada foi a mandante e a responsável por “arquitetar o plano criminoso” que levou à morte do próprio marido. Sem a participação dela, frisou, o crime não teria ocorrido.