Na última sexta-feira, durante a entrega da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) do Hospital Geral Prado Valadares (HGPV), em Jequié, com a presença do Governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores de Jequié e região, um fato chamou a atenção dos participantes do evento.

Antes do início da solenidade oficial, o prefeito de Jequié, Zé Cocá (PP), foi recebido por manifestantes que vaiavam e chamavam Zé Cocá de Traidor e Taíra, denominações que irritaram o prefeito de Jequié, o bastante para que partisse para cima do Deputado Federal Antonio Brito (PSD), líder do PSD na Câmara dos Deputados, tentando culpá-lo pelas manifestações recebidas.

Conforme informações dos presentes, as manifestações partiram de um grupo político, liderado por um vereador e seus apoiadores da cidade de Itagi (BA), distante 50km de Jequié e que não possui ligações com Antonio Brito.

No momento da formação das autoridades na solenidade, Antonio Brito teria feito um desabafo, apontando o comportamento do prefeito da cidade como de “moleque”. Zé Cocá foi eleito prefeito com o apoio do ex-governador da Bahia e atual Ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), mas após vitória nas eleições, rompeu com o PT e se uniu ao grupo liderado pelo ex-prefeito soteropolitano ACM Neto (União).

Ainda de acordo com a assessoria de Antonio Brito, o tempo todo os políticos se mantiveram distantes, sem nenhum contato direto, e o fato que não teria passado de um “calor do momento”. (trecho da matéria no site Metro 1)

As expressões de Brito no palanque não agradaram aos presentes, ainda mais por estar ao lado da Primeira-Dama de Jequié, a secretaria de Desenvolvimento Social, Patrícia Brandão, esposa de Zé Cocá. Mas, Brito justificou que as provocações de Zé Cocá passaram dos limites e quem ningúem é de ferro para suportar tamanho desaforo.

Compartilhe: