A Vigilância Epidemiológica (Viep), órgão da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Vitória da Conquista, continua ativa e alerta para o risco de transmissão do sarampo no município. Até a última semana, foram registrados 15 casos suspeitos da doença, sendo que 14 já foram descartados e um está em investigação.

Para manter esse cenário, a equipe da Viep tem feito visitas técnicas às unidades de saúde da Atenção Básica e em outros serviços de saúde do município, como parte do Plano de Ação de Controle e Erradicação do Sarampo no Brasil.

De acordo com a enfermeira responsável pela vigilância do sarampo na SMS, Dáine Pereira, o objetivo é alertar e sensibilizar os profissionais de saúde para intensificar a vigilância para as doenças exantemáticas, relacionadas à erupções na pele. “A intenção é que eles não deixem passar despercebido nenhum caso que precisa ser notificado, para possamos investigar se é uma suspeita confirmada de sarampo e implementar as medidas de controle, em tempo oportuno”, explicou a enfermeira.

Nessas visitas técnicas às equipes de saúde, além de fazer um apanhado geral sobre a vigilância das doenças exantemáticas e mais especificamente, o sarampo, a Viep também tem entregado os formulários de busca ativa para ser implementado nas unidades. “Com isso, as equipes podem fazer essa busca, semanalmente, investigando se houve algum caso de doença exantemática na comunidade ou se passou pela unidade, e não foi notificado”, ressaltou Dáine.

Segundo a prefeitura, esse recurso de busca ativa já é realizado em alguns hospitais e vem sendo implementado desde o ano passado em todas as unidades de saúde do município.

O sarampo é uma doença transmitida pelo ar e tem a maior taxa de transmissão entre as doenças virais no mundo. Pode ser muito perigosa e letal, principalmente para as crianças.

A única proteção eficaz contra a doença é a vacinação, que interrompe a cadeia de transmissão do vírus. Nesse momento, está em curso a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, que busca aumentar a cobertura vacinal em todo o país. Em Vitória da Conquista, a cobertura está em 10,71% no município e a meta é alcançar 90% de todas as crianças de seis meses a menores de seis anos, e profissionais de saúde ativos com até 59 anos.