Os governadores dos estados do Nordeste assinaram nesta quinta-feira (8) o termo de compromisso com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que autoriza a importação e uso emergencial da vacina Sputnik V.

O documento exige que as gestões monitorem a população que receberá o imunizante russo e notifiquem a agência em caso de algum evento adverso. Segundo a Anvisa somente após a assinatura deste termo é que será possível protocolar o pedido de importação para o Brasil.

Presidente do Consórcio Nordeste, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), diz que o objetivo é agora acertar a data para a entrega de 1 milhão e 147 mil doses. “Essas doses, elas vão passar por um critério de primeira e segunda dose, acompanhado, exatamente monitorado como está no termo, termo que estamos aqui celebrando com a Anvisa”, afirmou

Quando a Anvisa aprovou a importação controlada da Sputnik V, no dia 4 de junho, a autorização foi dada com uma série de restrições.

A agência impôs cerca de 30 condicionantes para a vacina desembarcar em solo brasileiro, entre elas a assinatura do Termo de Compromisso e que a Anvisa não recomenda a aplicação do imunizante russo em grávidas, pessoas com doenças não controladas, com HIV e com histórico de anafilaxia pós-vacinação.

Segundo o Metro 1, os lotes a serem destinados ao Brasil devem ser provenientes das fábricas inspecionadas pelos técnicos da agência na Rússia e fica autorizada a importação excepcional e temporária correspondente a doses para vacinação de 1% da população de cada um dos estados que compraram o imunizante.