Mãe mata filha de dois anos afogada em tanque de lavar roupaPoliciais da 66ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) estiveram no local e efetuaram a prisão em flagrante. O levantamento cadavérico foi realizado pelo delegado Luís Smyslov e peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT).O delegado Luís Smyslov disse ao Acorda Cidade que a perícia técnica não identificou marcas de espancamento no corpo de Raquel e que ela apresentava sinais de afogamento. Segundo ele, a criança foi afogada no tanque de lavar roupas e com a chegada de familiares e da polícia, a acusada não manifestou reação de arrependimento, estava nos afazeres domésticos, lavando roupas e agindo naturalmente.

“A princípio ela alegou que teria matado a criança porque Deus mandou. Mas, ela não é insana, tem a questão do uso de drogas, mas tem a capacidade mental perfeita. Pode ser que esteja já planejando uma defesa. A criança foi encontrada próximo ao tanque em cima de uma pilha de telhas e sem as vestes. Quando perguntaram onde estava a menina, ela apontou onde estava o corpo”, informou.