Jerônimo Rodrigues conseguiu um feito político raramente visto. Candidato pela primeira vez, em 30 dias cresceu 12 pontos percentuais e agora tem 16,1% das intenções de voto, em pesquisa para o governo da Bahia. E isto quando não é associado à candidatura de Lula! Quando é associado a Lula, ele dispara. Não me recordo, nos últimos 20 anos ao menos, de um feito deste.

Muito além de viável, sua candidatura já é tratada como favorita por amplos setores da política. Gente que agora, com a pesquisa, pôde comprovar que ele pode chegar na casa de 20, 25% ou 30% ANTES MESMO DE APARECE COM LULA NO PROGRAMA ELEITORAL.

Jerônimo está tirando o sono ACM Neto, que por sua vez, parte de seu teto, tem rejeição grande, tem dificuldade de fechar seu vice, perde a cada dia mais gente em sua base e vai ter que explicar seu apoio a Bolsonaro, rejeitado pela maioria dos baianos. Neto quer os cargos, mas não aparecer com Bolsonaro na foto.

Não é à toa que os dois candidatos bolsonaristas, ACM Neto e João Roma, passaram a atacar tanto aquele que, até ontem, chamavam de desconhecido. Em um único mês, o “desconhecido” se viabilizou.

Sentiram. Não imaginavam tamanha força do filho de um vaqueiro contra o neto de uma velha oligarquia baiana.

Charles Carmo

Em tempo. Como a política não permite vácuo, Jerônimo crescendo, adivinha quem perde? Acertou, mizeravi