O tempo deve continuar chuvoso nos próximos dias nas regiões de Guanambi e de Vitória da Conquista. Até terça-feira (30), novas chuvas podem ocorrer nestas localidades, assim como em boa parte do território baiano.

Uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), configurada na noite da última terça-feira (23), deve continuar atuando até o fim de semana, proporcionando mais chuvas nestas localidades.

Antes do fim do mês, o acumulado pode superar os 100 milímetros (mm) em áreas das regiões Centro-Norte, Centro-Sul, Extremo-Oeste, Sul e Vale São-Franciscano da Bahia. Desde o último domingo (21), todas as regiões do estado do estado vêem recebendo chuvas, em alguns locais, bastante volumosas.

Acumulados

Acumulado até o fim da noite desta quinta-feira (25) em Guanambi

Em Guanambi, no pluviômetro da Agência Sertão, no Centro da cidade, o acumulado de chuva de domingo até o fim da noite desta quinta-feira (25) foi de 134 mm. Considerando todo o mês de janeiro, até o momento, o acumulado é de 359 mm, bem maior do que os 199 mm registrados entre julho e dezembro de 2023.

A cidade e a região seguem sem ferramentas oficiais de monitoramento das condições climáticas, já que a estação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) está inoperante desde outubro. Além disso, boa parte dos pluviômetros do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) também não funciona.

Já em Vitória da Conquista, a média dos cinco pluviômetros do Cemaden e da Defesa Civil municipal é 140 mm desde domingo e de 244 mm desde o início do mês. O maior volume foi no bairro Patogônia, de quase 300 mm. Isso sem contar as chuvas da madrugada desta sexta-feira (26), que superou 50 mm em algumas localidades.

Alertas

A maior parte da Bahia segue em alerta laranja para chuvas intensas pelo menos até este sábado (27), com possibilidade de chuvas de 30 e 60 mm/h ou de 50 a 100 mm/dia, acompanhada de ventos intensos, com rajadas de 60 a 100 km/h.\

O alerta atualizado nesta sexta-feira engloba 324 dos 417 municípios da Bahia, ficando de fora apenas a parte mais ao nordeste do estado, como as regiões de Salvador, Feira de Santana e Paulo Afonso.

Compartilhe: