Uma concorrida sessão na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), em Salvador, celebrou os 100 anos do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), na tarde desta segunda-feira (21/03). O ato político comemorativo foi marcado por homenagens feitas por militantes, dirigentes e aliados, e ainda contou com o anúncio de uma nova filiação: do trompetista Juracy Bemol, da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA).

Recebido com muita festa, o novo filiado agradeceu a acolhida e lembrou que a decisão de integrar o PCdoB acontece também no centenário da Semana de Arte Moderna, o que indica que a luta comunista nasceu e segue junto com a cultura. “Darei o meu sangue pela causa do PCdoB, que é a causa dos trabalhadores, dos estudantes, dos artistas”, disse Juracy Bemol.

Para o presidente estadual do Partido, Davidson Magalhães, o espírito das comemorações do centenário tem sido justamente o de fortalecimento e de renovação da atuação. “Chegamos aos 100 anos renovados. Não decepcionamos o povo. A nossa consciência histórica vai nos levar a mais 100 anos, para construir uma pátria sem exploradores e explorados”, disse.

Homenagens

Na ocasião, a deputada federal Alice Portugal fez homenagens a nomes que construíram a história do PCdoB na Bahia, a exemplo de Haroldo Lima, Péricles de Souza e Loreta Valadares, que fizeram mobilização e formação popular no estado. “A história do PCdoB está entrelaçada nas lutas do nosso povo. Somos o partido dos comuns, daqueles que muito produzem e nada têm”, afirmou.

Daniel Almeida lembrou de diversos fatos históricos do centenário e defendeu que o passado de lutas deve guiar o novo ciclo do Partido. “As ideias do socialismo surgem para se contrapor ao capitalismo, para construir uma sociedade fraterna e livre. Nós chegamos a esses 100 anos participando de muitas lutas e desafios, e mais do que nunca o socialismo está vivo.”, declarou.

A bancada do PCdoB na Assembleia Legislativa da Bahia, formada por Olívia Santana, Bobô Tavares, Zó Lima e Fabrício Falcão, também esteve presente no ato. O líder Fabrício Falcão conduziu os trabalhos, junto com a secretária estadual de Organização do Partido, Marianna Dias, e destacou que, apesar das dez décadas, a organização comunista no País segue se renovando, sintonizada com os novos tempos. “Somos o partido mais antigo do Brasil, mas um partido jovem nas ideias”, disse.

Representatividade

Uma mesa de lideranças foi formada, na cerimônia, com a marca da diversidade. Além dos nomes já citados, também estiveram Julieta Palmeira (SPM-BA), Rosa de Souza (CTB-BA), Natan Ferreira (UJS-BA), Pedro Lucas (UBM), Lívia Ferreira (UNA-LGBT), Marina Duarte (Unegro-BA), Álvaro Gomes (Iapaz), Manuela Simões (Secretaria de Organização do PCdoB Salvador), Luiz Gavazza (Bahiagás) e Cacique Aruã (Secretaria de Questões Indígenas do PCdoB-BA).

Na sessão, também estiveram convidados que são aliados do PCdoB, como a deputada federal Lídice da Mata e o vice-prefeito de Ilhéus, Bebeto Galvão, ambos do PSB; os deputados estaduais do PT Rosemberg Pinto e Osny Cardoso; e Iaraci Dias, porta-voz da Rede. O governador Rui Costa (PT) não pôde comparecer ao evento, mas enviou uma mensagem de saudação à militância comunista.

Os prefeitos do PCdoB Professor Tone (Aratuípe) e Frederico Vasconcelos (Licínio de Almeida) também participaram do ato político, representando os mandatos do interior do estado.