Imagem: Reprodução/Google

O preço da gasolina continua subindo nas bombas dos postos de gasolina e vem pesando cada vez mais no bolso do consumidor. Agora, o valor atingiu um patamar considerado histórico pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Veja o valor e o motivo da quitação.

Preço da gasolina atinge alta histórica

A ANP realiza pesquisas periódicas sobre os preços dos combustíveis desde 2004. Na semana entre 17 e 23 de Abril, foi encontrado um valor histórico do preço da gasolina: média nacional de R$ 7.270.

Desde o início da pesquisa, a ANP nunca havia registrado um preço tão alto. O recorde anterior havia sido em março de 2022, quando atingiu R$ 7.267. O último reajuste anunciado pela Petrobras também ocorreu em Março.

Segundo a Petrobras, a alta dos preços deve-se à situação do comércio internacional de petróleo. O valor do produto já havia subido com a retomada da poupança após a pandemia.

Agora, com a guerra na Ucrânia e as sanções contra a Rússia, o preço do barril de petróleo disparou, uma vez que há menos oferta do produto. A desvalorização do real em relação ao dólar também contribui para a alta.

Além do petróleo, especialistas já alertaram para o aumento do gás natural, que a Rússia também é um grande fornecedor para e para o óleo de soja.

IPTL também aponta alta

O IPTL seguiu a mesma trajetória da ANP. O índice, desenvolvido pela Ticket Log, uma das maiores empresas de logística do Brasil, avalia diariamente 18 mil postos de combustíveis parceiros. Em 26 de abril, os preços médios dos combustíveis foram:

Gasolina Comum: R$ 7.557;

Etanol: R$ 5.972;

Diesel S10 Comum: R$ 6.986;

Diesel: R$ 6.835;

Gás Natural: R$ 4.921.

Vale ressaltar que é possível que os preços calculados pela ANP se aproximem da IPTL nas próximas semanas, já que a nova pesquisa deve sair em breve.