A Black Friday, tradicional data de descontos do varejo, deve movimentar as lojas – e principalmente os sites de comércio – nesta sexta-feira (26).

A euforia com as promoções, no entanto, não deve dar as caras: com o desemprego em alta e a inflação idem, a previsão é de gastos menores do que no passado. Segundo pesquisa da CNDL e do SPC, 57% dos consumidores pretendem fazer alguma compra, contra 64,4% do ano passado.

A inflação também deve ser empecilho para as promoções: uma pesquisa da CNC mostrou que a data deve movimentar R$ 3,93 bilhões – descontada a inflação, uma queda de 6,5% em relação ao ano passado.

 

Vai comprar nesta Black Friday? Economista dá dicas para não ficar endividado

Dicas

 

Se você está entre os que pretendem ir às compras virtuais, atenção para as dicas que o g1 preparou – e evite cair em furadas:

  1. Priorize uma rede privada: redes gratuitas podem não ser protegidas;
  2. Veja se o site é seguro: certifique-se de que está fazendo a compra em uma página segura, ao checar a presença de um cadeado ao lado do link;
  3. Tenha um antivírus: ele pode detectar sites que contenham arquivos maliciosos;
  4. Cuidado com as senhas: use uma para cada cadastro;
  5. Proteja seu cartão de crédito: desabilite a opção de salvar os dados do cartão no site de compra e, se possível, utilize o cartão virtual;
  6. Formas de pagamento: desconfie de lojas que aceitam apenas transferência ou boleto;
  7. Mensagens de ‘phishing’: verifique o endereço antes de clicar em links recebidos; priorize a página oficial da loja;
  8. Promoções em redes sociais: cuidado com possíveis páginas falsas, que visam roubar dados;
  9. Lojas menores: dê preferência às que possuem algum sistema de pagamento como intermediário;
  10. Sites de reclamações: verifique a confiabilidade das lojas em sites de reclamações, como o Reclame Aqui e o Procon.

 

Please follow and like us:
fb-share-icon
Tweet 20
fb-share-icon20