A manhã desta segunda-feira (12) de Carnaval foi marcada por uma trágica notícia em Itabuna: Ana Luiza Rangel Silva, uma jovem de apenas 18 anos e moradora da Rua São Jorge, no bairro São Caetano, faleceu devido a complicações decorrentes de dengue hemorrágica.

Ana Luiza deu entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento na quinta-feira (08), sendo atendida e liberada com um suposto quadro de virose. No entanto, como seu estado de saúde não melhorou, ela retornou à unidade na sexta-feira (09). A mãe dela solicitou um Raio X, mas foi informada de que esse exame era reservado para casos graves, o que sugeria que a equipe médica não considerava o caso de Ana Luiza como grave naquele momento.

Infelizmente, Ana Luiza continuou a piorar e foi levada ao Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães na noite do domingo (11), apresentando um quadro grave de dengue hemorrágica. No entanto, os esforços médicos não foram suficientes para salvar sua vida, e ela veio a falecer.

A tragédia da morte de Ana Luiza levanta questões sérias sobre o diagnóstico precoce e o tratamento adequado da dengue, especialmente em áreas onde a doença é endêmica. A falta de um diagnóstico preciso e oportuno pode ter contribuído para o desfecho fatal desta situação.

Compartilhe: