O brasileiro Jonatan Moisés Diniz, que estava preso na Venezuela desde 26 de dezembro, foi expulso do país, disse o ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes, neste sábado, no Twitter. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Itamaraty, que afirmou também que Jonatan já embarcou para os Estados Unidos, onde ele mora atualmente.

Jonatan, de 31 anos, estava em uma instalação de órgão de segurança local após viajar à Venezuela na metade de dezembro para organizar uma campanha de doações para crianças carentes. Jonatan viajou para Caracas levando brinquedos, camisetas e bonés que pretendia distribuir para crianças carentes durante o Natal. Suas doações foram retidas no aeroporto.

Sua detenção foi anunciada em televisão nacional pelo braço-direito do presidente Nicolás Maduro, Diosdado Cabello. O deputado da Assembleia Constituinte afirmou que o brasileiro integrava uma organização que postava conteúdo aintigoverno nas redes sociais e que a CIA estaria envolvida nas supostas atividades contra o chavismo. A VEJA, a família de Jonatan negou as acusações.

O incidente envolvendo o brasileiro Jonatan Moisés Diniz foi encerrado, com sua expulsão da Venezuela.